quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Torres de Marfim

Esse blog anda meio abandonado, pois a agitação constante nos envolve em meio a trabalho, estudos, estágios, ministério e uma tentativa um tanto que frustada de vida social.
Estamos em etapa de construção, então é preciso em alguns momentos renunciar certos compromissos em prol de outros. Só não podemos perder o foco, e nos deixar distrair pelas muitas vozes que soam ao redor.
Os desafios vêm, e nós vamos "dando nossos pulos", para atravessá-los com graça e ousadia.
No meio dessa sociedade conturbada, onde a visão utópica de uma revolução total nos persegue em sonhos e devaneios, descobri em uma aula magnífica com uma professora genial e desastrada - que lembra a minha pessoa no futuro - sobre a tal revolução molecular. Esta, vem da ideia de mudar o mundo, contudo diz que se mudarmos nós mesmos, depois nossa casa, estaremos contribuindo para tal.
Então dou um jeito de ter tempo para o que amo. Paro tudo! Em um momento que deveria estar fazendo tantas outras coisas mais urgentes... só para relembrar alguns princípios, que diariamente que esvaem no meio do caos da selva de pedra.
Paremos de nos importar com o sistemas e com nossas revoltas sobre o que há de errado exteriormente, longe de nosso alcance.
E venhamos desbravar o mundo de nosso inconsciente, as mazelas de nossa alma há tanto o que descobrir, elaborar, transformar... E você aí sentado na frente da tela sendo bombardeado pela institucionalização do poder, do saber, do consumo.
Acorde! Saia de sua torre de marfim e viva seu discurso com garra e simplicidade. Não deixe os experts te convencerem de que sua sabedoria de nada vale. Volte as raízes, reviva a essência. Quem é você de verdade? Quando ninguém está vendo...
Perca-se e encontre-se, só não deixe de ser essa criatura preciosa que você sempre foi. As coisas que você vê são passageiras, em pouco tempo tudo desaparece. Resta apenas o que você não vê. Então dê mais valor ao que é invisível aos olhos e desista do vaguear da cobiça.
Respira fundo e recupere suas forças lute contra o turbilhão que cai sobre você, e não desista de nadar, pois mesmo que você acabe morrendo na praia, a melhor parte está do lado de lá, do outro lado da vida.
Dê um sorriso, ou dois, e vá correndo conquistar tudo que há pra você, só não esqueça que o TUDO daqui é nada perto do que tem Lá. Não perca seu lugar no Lá, no Lar, na casa feita de outro que está reservada aos que pensaram mais no Lá do que no aqui.
Há tanto para se viver, mas depois que você morrer, toda essa correria só vai ter valido a pena, se você tiver corrido para o lugar devido.
Corra, voe, bem alto... Mas no caminho certo. É no silêncio que você escuta Àquele que te dá os conselhos certos.
Corra, viva, conquiste, surpreenda, invente e reinvente-se, só não perca a sensibilidade ao Amor e a humildade de voltar atras em suas escolhas mal feitas.