quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Aprendemos

Eles escrevendo sobre suas crises existenciais, enquanto eu me condiciono a não mais aceita-las. Pelo menos por enquanto. Estou naquela fase de lutar contra minha doença para poder uma hora dessas abraçar alguém com braços curados e coração forte. Eles precisam de mim e não cansam de me falar isso pelas entrelinhas de suas frases feitas, que de tão clichê me causam náuseas. Supero o enjoo e percebo que seus sorrisos plásticos não passam de um sutil disfarce pronto a ser desfeito em poucos segundos de um olhar profundo e um rapport intenso. Eu e essa minha tola mania de querer cuidar do mundo e supri-los em amor já que transbordo do mesmo, recebendo-o em doses diárias de medidas enormes fluindo do Alto direto ao íntimo de meu ser. Privilegiada sou. Recebo mimos que princesas desconhecem... Só queria poder compartilhar, dividir, aconchegar no colo quem faminto pelo que tenho de sobra implora-me silenciosamente. Mas aprendi que há tempo. Momento certo para cada situação. E eu? continuarei sendo constantemente curada dos buracos deixados pelos que vieram e foram, levando uma pequena porção da minha força propulsora de novos inícios.


#Caderno de Capa Preta - Jamie Carter - Kaasevile